Quintal dos Poetas
Oficina Literária

                                                                      editora independente
 

 

Comentários

 

Registro das minhas opiniões a respeito das coisas, quase sempre desagradáveis,  que me afetam no dia a dia vivido num certo país tropical.

 

 

10 de junho de 2018

 

Tenho uma sugestão banal a oferecer aos candidatos à presidência da república, a respeito da guerra civil e do terrorismo que tomaram conta do Brasil. Basta criar um complexo penitenciário na ilha mais distante da costa brasileira e meter lá os políticos e demais chefões do crime organizado. As celas seriam individuais, com isolamento total sem a menor chance de comunicação dos presos entre si e com o mundo exterior. A vigilância ficaria por conta do exército, da marinha e da aeronáutica. As entrevistas com advogados e familiares seriam monitoradas. Entraves jurídicos seriam resolvidos com as devidas adaptações nas leis ou na constituição. Paralelamente seriam tomadas medidas complementares tais como: vigilância total ao tráfico de armas e drogas nas fronteiras e cassação do Gilmar Mendes.

 

 

 

02 de março de 2018

 

Avaliações sistemáticas comprovam que noventa dos cento dos brasileiros são analfabetos funcionais, ou seja, não conseguem ler e entender o significado de um texto. É a evidência mais trágica da deficiência da nossa educação e da superficialidade das nossas políticas culturais. Considerando que, é através dos textos escritos que a humanidade cria e transmite ideias complexas, podemos prever que o Brasil marcha célere para se tornar uma nação de zumbis intelectuais. Acreditem: fora dos livros não há salvação!

 

 

26 de fevereiro de 2018

 

Os juízes federais ameaçam entrar em greve pela manutenção do auxílio moradia, com ou sem moradia. Só pode ser piada de mau gosto. Mas eu tenho uma proposta: tansformar o tal auxílio em adicional de produtividade. Quem sabe, com isso a ficha caia para suas excelências e elas passem a trabalhar mais e repudiar a cultura que eles próprios criaram  de que no judiciário tudo é meio lento mesmo e que, para o povo, a paciência é uma bela virtude.

 

 

23 de fevereiro de 2018

 

Porque será que o padrão de qualidade das companhias telefônicas no Brasil é tão ruim? Não deve ser uma questão de incapacidade tecnológica pois o atendimento pessoal também é de baixa qualidade. Deve ser, então, uma questão de políticas combinadas de desrespeito ao consumidor. Não há concorrência, pois todas se nivelam por baixo. A ruindade é generalizada, tanto no sentido vertical quanto horizontal.

 

 

22 de fevereiro de 2018

 

A imprensa carioca, não sei se por ignorância, leviandade ou má fé, quer nos convencer que a criminalidade no Rio de Janeiro, não é tão crítica, pois o estado apresenta uma taxa de homicídios inferior ao dos estados do nordeste e do norte. Ora, a taxa de homicídios não é o único indicador de criminalidade, pois a prática do homicídio embute vários fatores de ordem cultural como o machismo e o revanchismo. É provável que a alta taxa de homicídios nos estados do nordeste seja grandemente agravada pela violência com que se costuma resolver por lá, rijas pessoais tipo brigas de vizinhos, crimes passionais, brigas de bar, vingança e coisas do gênero. O problema é que no Rio de Janeiro os homicídios estão diretamente ligados ao crime organizado, são impessoais, coletivos, imprevisíveis e ameaçam diuturnamente as pessoas de bem. A diferença é brutal.

 

19 de fevereiro de 2018

 

É claro que a intervenção federal não vai acabar com a criminalidade no Rio de Janeiro, mas, pelo menos,  mostra que a instituição do Estado ainda não está morta, é forte  e tem poder de repressão. O governador Pezão disse, simploriamente como é de seu feitio, que o que pode acabar com o crime em seu estado é o oferta de empregos. O patético governador tergiversa, mais uma vez, tentando tirar o seu da reta. Na verdade, todos nós sabemos que o que acaba com o crime é a convicção de que á Justiça é certa e implacável. Também sabemos que para conseguir isso temos que acabar com a promiscuidade dos políticos com a corrupção e o crime organizado. Nisso eles não gostam de falar.

 

 

20 de janeiro de 2018

 

Correta a atitude da polícia federal em conduzir Sérgio Cabral acorrentado do Rio de Janeiro para Curitiba. Trata-se de um criminoso condenado por vários crimes, cujas penas já somam 72 anos de detenção. Além disso continua praticando delitos, inclusive corrompendo autoridades para obter regalias na prisão o que, aliás, foi o motivo da sua tranferência. É portanto um criminoso de alta periculosidade que demonstra capacidade e influência até para organizar uma fuga espetacular. Daí a necessidade extrema de cautela no trato com o referido criminoso.

 

 

20 de dezembro 2017

 

Sou interiramente favorável a liberdade de preferências sexuais, contudo, considero a ideologia de gênero uma das discussões mais idiotas da história da humanidade. Mas não me surpreendo, já que estamos vivendo um período caracterizado por um grande vazio intelectual, filosófico e moral. É em épocas assim que costumamos perder nossas referências e seguir os falsos profetas.

 

 

08 de dezembro de 2017

 

Depois de rico, velho e desmemoriado, Caetano Veloso resolveu abraçar as causas humanitárias. Não sabemos se ele está com medo do Juízo Final ou se quer chamar a atenção para abrir espaço para introduzir no mercado seu trio de filhos insonsos e sem talento que, segundo ele mesmo, são evangélicos de carteirinha.

 

 

28 de novembro de 2017

 

As políticas antirracista adotadas no Brasil são claramente contraproducentes pois estimulam a criação de marcos demarcatórios  para diferenciação qualitativa de seres humanos o que, inclusive, não deixa de ser um estímulo à discriminação e à proliferação de guetos. Está sendo criado uma espécie de racismo às avessas. Notem que só existe uma Raça Humana no Planeta Terra e que o verdadeiro sentido de qualquer política social deve ser a criação de oportunidades para que todos possam, em igualdade de condições, melhorar sua qualidade de vida, qualquer que sejam a cor da sua pele, sua origem, suas crenças, sua religião ou seu partido político.

Acredito que a velha miscigenação ainda é o nosso melhor caminho para a solução dos problemas raciais e que nossa melhor política seria o incentivo à fraterna união das pessoas das diversas etnias.O segundo ponto fundamental, a ser considerado, passa pela melhoria e higienização da escola pública, pois ela é o principal canal para criação de oportunidades de ascensão social dos cidadãos que dependem dela.

 

 

20 de novembro de 2017

 

1 - O Brasil passa por um momento de verdadeiro tumulto jurídico. A onipresença do STF e o episódio recente da Assembleia Ligislativa do Rio de Janeiro que mandou soltar seu presidente preso por determinação da justiça, são a prova cabal disso. Na verdade, a origem de tudo é a péssima qualidade das nossas leis, cheias de omissões, desequilíbrios e contradições. Os legisladores responsáveis pela nossa atual constituição sabiam que ela era tão ruim que eles mesmos inseriram nela uma revisão geral depois de cinco ano da sua promulgação. Isso não aconteceu até hoje. O que aconteceu foram apenas alguns remendos que, em geral, a tornaram pior ainda. 

 

2 - Hoje é dia da consciência negra. Não sei exatamente o que isso significa mas penso que quanto mais criarmos marcos para nos lembrarem das diferenças entre raças, mais estaremos polarizando a questão e mais estaremos contribuindo para a exacerbação do racismo. Não existem diferenças intrínsecas entre seres humanos. É disso que devemos nos conscientizar.

 

13 de novembro de 2017

 

O episódio que resultou na acusação do jornalista William Waack ter praticado o crime de racismo, evidencia, mais uma vez, a ruindade da legislação brasileira sobre o assunto. A lei não define o que é racismo e, o que é pior, nivela o "preconceito" ao "racismo". Ora "preconceito" é essencialmente uma opinião. Como se recorda a constituição brasileira garante a liberdade de opinião. Assim, nesse aspecto a lei anti-racista é claramente inconstitucional. O princípio é bom e justo mas seria indispensável melhorar o instrumento. Não é difícil, bastaria distinguir o" preconceito", da "injúria" e da" discriminação". O primeiro não é crime e o segundo é muito menos grave do que o terceiro. Sem esse remendo essencial, a nossa lei anti-racista tende a se tornar, cada vez mais, um laço para caçar bruxas. A próposito: "racismo", a rigor, nada mais é do que a crença de que a humanidade é dividida em raças o que se constitui numa besteira sem tamanho. Pois no essencial, mesmo biologicamente falando, todos os seres humanos são iguais.

 

 

05 de novembro de 2017

 

Para mim a sensação midiática da semana foi o protesto público da dra. Luizlinda Valois, reclamando do seu salário como ministra dos direitos humanos. Como a ministra é desembargadora aposentada com salário de R$ 31.000,  ela só tem direito a uma complementação até atingir o teto salarial de R$ 33.000, que os servidores públicos têm direito. A lei é clara mas a ministra desembargadora aposentada achou por bem apresentar uma petição ao governo reivindicando o direito de acumular as duas remunerações, o que lhe daria um maravilhoso ganho de mais de 60.000,00, mensais. Iterpelada pela imprensa, Luizlinda disse que apenas peticionou seu preito, cabendo ao governo se manifestar oficialmente. Não há dúvida que a atitude da ministra é absurdamente  imoral, assim como é imoral a explicação que ela deu de que "apenas peticionou", usando os canais competentes. Sendo o pedido totalmente indecente, descabido e ofensivo ao povo brasileiro, parece-me que a ministra acabou de inventar uma espécie de "assédio à cidadania". Acho que é a última coisa que se podia esperar de um ministro de direitos humanos.

 

 

27 de outubro de 2017

 

Nesse momento vários municípios brasileiros estão empenhados em criar leis para regular a questão da politização das escolas públicas. O mais incrível é que muitas delas estão aprovando leis favoráveis a que os professores tenham garantido seu suposto direito de adotar seus pontos de vista ideológicos na sala de aula, o que é claramente proibido pela Constituição. Sem falar que a ideia é esdrúxula e se constitui num retrocesso absurdo que nos remete aos tempos medievais quando o fanatismo catequista da igreja católica era o único critério de sabedoria e verdade adotado nas salas de aula.

 

 

Em 23 de outuro de 2017

 

Recado aos jovens poetas: nunca deixem de escrever poesia, pois estamos todos no mesmo nível. Sempre vai haver quem escreve melhor do que você mas, também, sempre vai haver poetas que escrevem poesia pior do que a sua.

 

Em 20 de outubro de 2017

 

A marcha inexorável da História caminha para demonstrar que d. Marisa Letícia foi uma mulher notável no contexto extrapalaciano do governo Lula. Senão vejamos: gerenciou os assunto relativos ao sítio de Atibaia e ao triplex do Guarujá, desaprovou a compra do terreno para instalação do Instituto Lula em São Paulo, gerenciou as informalidades da locação do apartamento do primo do Burlai, gerenciou as rendas do casal aplicadas em robustas contas bancárias correntes e previdenciárias. Mas, publicamente, talvez sua mais espetacular perfomace tenha sido na Passarela do Samba num desses carnavais inesquecíveis de que já não me lembro o ano. Mas me lembro que ela sambou de forma discreta, competente e digna. Ao impedir que ela assumisse a presidência nacional do SERVAS Lula foi egoista e nos privou de uma grande portunidade para conhecer os seus talentos num serviço público benemérito, voluntário e desgastante.

 

Em 20 de outubro de 2017

 

O termo "censura" virou um eufemismo ideológico utilizado pelos pseudo-artistas brasileiros e seus simpatizantes, para protestar contra quem não concorda com a liberação dos espaços culturais públicos para que esses mesmos pretensos artistas sem nenhum talento, possam exibir as suas tralhas. Na verdade, politicamente, a censura pressupõe a prerrogativa legal do uso da força do sensor contra o censurado, proibindo sua manifestação. Portanto, é uma prerrogativa exclusiva do Estado. Só existe efetivamente quando exercida pelo Estado contra o cidadão. O resto é mera divergência de opiniões, divergências essas que podem se manifestar das mais diversas maneiras, até mesmo através do uso da violência.

 

Em 18 de outubro de 2017

 

A produção artística pressupõe criação e/ou transformação do objeto escolhido pelo artista para manifestar a sua arte, no contexto da línguagem, também escolhida por ele para se expressar. Na falta de qualquer um desses elementos não se trata de arte mas de mera exibição. O exibicionismo nada mais é do que uma apelação de pretensos artistas que querem produzir arte mas não têm nenhum talento para isso. Vai daí que a nudez crua e fora de contexto não passa de exibicionismo sensacionalista. E quando ela afeta crianças imaturas, não é só exibicionismo barato mas também crime hediondo. É o caso do lamentável episódio do "peladão do MAM" em São Paulo.Condeno veementemente a sórdida e ardilosa tentativa de prática de pedofilia disfarçada sob o sagrado manto da arte.

 

Em 03 de outubro de 2017

 

 A comunidade artística adora criar oportunidades de provocar reações críticas às suas supostas posições vanguardistas. Especialmente os artistas de pouco talento que precisam aparecer de alguma forma. Adoram se sentir censurados e se dizerem perseguidos. Em geral todos que reagem às provocações são taxados de retrógrados e fascistas. Foi assim com a exposição do Banco Santander em Porto Alegre e com a performance de um ator obscuro no Mam de São Paulo. No primeiro caso alguns pais protestaram porque acharam que a exposição tinha um claro viés de politização, voltado para induzir as crianças a opções prematuras de gênero e sexualidade. Coisas a respeito das quais eles não concordam, e têm todo o direito de fazê-lo. Especialmente não havendo nenhuma advertência prévia sobre o propósito subliminar da exposição onde levaram seus filhos sem saber o que lhes esperavam. Não sei dos méritos artísticos da mostra de Porto Alegre, mas discordo inteiramente da politização dos espaços públicos, ainda mais com um tema tão sensível. Mas isso é coisa de fascista, certo?                                                                                                                                                                                                                       No caso do Mam, o que aconteceu foi uma daquelas velhas performances destinadas a envolver mais o público com o ambiente, especialmente para superar a inércia natural das artes plásticas. No caso, puseram um ator pelado fazendo pantomimas e lendo passagens de um livro. Havia crianças no recinto mas, menos mal, se os pais estavam presentes e achando a coisa muito artística ou educativa. Tenho dúvidas dos méritos da performance nesses particulares, mas – de novo – isso é problema dos pais. Esteticamente acho esse negócio de declamar pelado uma apelação que não tem uma pitada de criatividade e está fora de moda desde década de setenta. E é aí que eu protesto, pois sou incansável crítico do mau gosto e da falta de criatividade.

 

 

Em 28 de setembro de 2017

 

Ontem o nosso onipresente Supremo Tribunal Federal produziu mais um monte de besteiras. Primeiro determinou que as escolas adotassem um cardápio disponibilizando aos alunos acesso a aulas de religião "à la carte", ou seja cada um escolhe a religião que quer estudar. Genericamente o assunto poderia muito bem ser tratado na cadeira de História. Mais do que isso seria doutrinação e, nesse caso, não há dúvida de que o assunto ficaria em melhores mãos se fosse entregue aos pais e às igrejas. Até sobraria mais tempo para os alunos se dedicarem ao estudo do que realmente vai instrumentalizá-los para ganhar a vida com o suor de seus rostos.

A segunda besteira da nossa suprema corte diz respeito às penas cautelares impostas ao senador Aécio Neves. Suspenderam-no das sua atividades de senador e o proibiram de sair à noite. No primeiro caso acho que se meteram em assunto que não lhes diz respeito e no segundo acho que o confundiram com um  ladrão de galinha que, invariavelmente, costuma atacar à sombra da noite. Disseram que eram medidas cautelares. Difícil entender como qualquer das duas medidas vai impedi-lo de continuar pedido propina para agasalhar o bolso e viver a vida com mais conforto.

 

 

Em 26 de setembro de 2017

 

Para mim está claro que os asiáticos têm padrões de raciocínio lógico diferentes dos ocidentais e, não raramente superiores quando se trata de embates estratégicos. São exímios matemáticos e grandes estrategistas militares, conforme evidenciado desde os tempos de Gengis Khan. Acho que esse princípio vale para entendermos melhor o significado do bate-boca entre Trump e Kim Yong-un. Não tenho dúvida de que o supremo líder coreano está fazendo o supremo presidente americano de bobo, apesar de ter menos da metade da idade do seu oponente e apesar de ambos ostentarem cortes de cabelo igualmente ridículos. Ele sabe que, apesar das bravatas de ambos os lados, uma guerra nuclear está fora de cogitação. E é exatamente isso que ele quer mostrar ao mundo. Mas não sem antes humilhar Trump e deixá-lo mansinho, acuado num canto pela opinião pública americana, que logo vai sentir que a humilhação de Trump é a humilhação do país que ele preside. O que Kim Jong-um tem feito, com toda a sua pirotecnia nuclear e verborragia bélica, é irritar Trump levando-o a fazer ameaças cinematográficas que não vai cumprir e, portanto, empurrando-o para o abismo do ridículo. E o que o supremo líder coreano ganha com isso? Ganha a realização do sonho que todo líder mundial tem, ou seja, lealdade e admiração do seu público interno e respeito e temor dos seus oponentes externos. É com isso que obteria tranquilidade para governar até o último dos seus dias, se alinhando em grandeza comunista, a Mao Tsé-tung, Fidel Castro e o próprio Lenin.

 

 

Em 07 de setembro de 2017

 

1 - Está se desenhando a comprovação de que a realização da copa do mundo e das olimpíadas no Brasil representou um monumental golpe do crime organizado integrado pela fina flor dos nossos políticos, dirigentes esportivos e empreiteiros. Um verdadeiro monumento ao talento brasileiro para a corrupção, a fralde e a malversação. Eu já sentia isso desde a época da escolha do nosso país para sediar os megaeventos, disputando com países e cidades em condições muito melhores do que as nossas. Porque será que é tão fácil prever essas coisas no Brasil?

 

2 - Se os testemunhos já feitos e a serem feitos por Palocci, nos próximos dias, não detonar o lula-petismo de uma vez por todas, nada mais o fará. Nunca vi um depoimento tão seguro, consistente e articulado e tão cheio da aura da credibilidade, quanto o do ex-ministro e estrela petista, amigo do peito de Lula e d. Mariza.

 

3 - Muito bem, foram encontrados 51 milhões de reais, pescados por Geddel Vieira Lima nas águas azuis e serenas da corrupção. Mas quando é que ele vai deixar a vida tranquila que está levando numa varanda de frente pro mar na Bahia, parar de engordar e ser trancafiado novamente na Papuda?

 

4 - Dória entrou numa briga ruim com a Rádio CBN, rede  que tem atrás de si o Grupo Globo de Comunicação. O conflito começou com aquela questão da repórter que contou pra todo mundo que o prefeito de São Paulo tentou varrer os mendigos do centro da capital a golpes de jato d’água. Ele nega, dizendo que ela é uma petista mentirosa escalada para prejudicá-lo. O fato em si é relativamente irrelevante, mas a intriga foi montada e, como de hábito, sensibiliza facilmente os xiitas politicamente corretos e os órgãos de classe da imprensa, sempre prontos a recitar aquele discurso fácil sobre o dever de informar, sobre o papel da imprensa na sustentação da democracia e quitais. De sorte que avultam-se os dedos na cara de Dória. Seja como for, ele vai ter que dar uma freada na sua exposição midiática, recolher-se a um retiro espiritual, esfriar a arrogância e aprender depressa lições que sua inexperiência política ainda não lhe ensinaram.

 

 

Em 29 de agosto de 2017

 

1- Resolvi parar de tratar de política no FACEBOOK. Conclui que esse é o pior palanque que a democracia pode propiciar a um liberal como eu, pois só há dois tipos de pessoas participando do debate: os que só falam o que querem acreditar e os que só acreditam no que querem ouvir. Boa sorte para todos nós!

 

2- A linguagem poética transcende a sintaxe discursiva pois embute uma complexa relação entre forma e conteúdo onde a emoção e a contextualidade cultural têm papel fundamental. Aceito ler poesias traduzidas e algumas até me deleitam, mas me recuso a avaliar a qualidade do poeta através da competência linguística do seu tradutor.

 

3 - E para que as minhas ideias políticas fiquem fáceis de entender, devo confessar que faço parte dos 3% de brasileiros que apoiam o governo Temer. E tenho muitos motivos para isso: aprovo suas políticas, sua tenacidade e sua determinação. Apesar de haver um claro complô contra ele, orquestrado por Rodrigo Janot e a imprensa em geral, ele não só continua no poder como está governando plenamente,  botando a cara a tapa, para aprovar reformas anti-populares, mas indispensáveis ao avanço do país. Há muitos anos que não vemos um presidente tão determinado, para desespero de seus algozes. Quando ao fato dele ser ou não corrupto como todos os demais políticos do país, certamente ele não é o primeiro da fila e quando chegar a sua hora que seja punido na forma da lei. Mas não antes!

 

4- É obvio que numa época de recessão o déficit da previdência tende a aumentar pois todo ano há mais gente aposentando do que velhos morrendo. Mas há uma solução simples: matar os velhos. Enquanto isso a turma do legislativo e do judiciário vai tendo aumentos acima da inflação todos os anos. Quem vai matar essa turma?

 

 

Em 28 de agosto de 2017

 

1- Uma Assembleia Nacional Constituinte Independente e exclusiva daria ao povo o poder de legislar diretamente sem a intermediação dos políticos. Ela é a única solução para os vícios estruturais do executivo, do legislativo e do judiciário do Brasil. 

 

2- A Constituição brasileira determina que todo cidadão tem garantida a livre manifestação do pensamento. Mas, na prática não é bem assim. Você até pode pensar no que quiser mas se seu  pensamento não for considerado  politicamente correto você não pode escrever nem dizê-lo em voz alta pois corre o risco de algum delegado considerá-lo preconceituoso ou incitar a prática de crime e resolver metê-lo na cadeia. Nem nos tempos de Hitler e Stalin o patrulhamento ideológico foi tão virulento. Enquanto isso nosso Supremo Tribunal Federal vai engavetando os processos contra os políticos poderosos e se esquecendo do seu papel fundamental que é zelar pelo cumprimento da Constituição.

 

3- O populismo nada mais é do que a versão política moderna do dogmatismo religioso da idade média. Este legitimava os absurdos dos seus atos vociferando que eles eram indiscutíveis e sagrados porque haviam sido perpetrados “em nome do Senhor”. O populismo faz o mesmo, justificando todos os seus descalabros apregoando que eles são indiscutíveis e legítimos porque foram cometidos “em nome do povo”. Nem Deus nem o povo foram consultados nem elegeram porta-vozes para falarem eu seus nomes.

 

4- Todo ser humano nasce igual, vale dizer, frágil e pleno de carências. A míngua e a pobreza são os elementos da herança comum da humanidade. Todo o resto é adquirido e é daí quem nascem e se acentuam as diferenças involuntárias. Do ponto de vista sócio-político as pessoas não são intrinsicamente diferenciadas pelo sexo, pela cor da pele ou qualquer traço exterior característico de suas etnias biógicas, mas sim pela falta de liberdade e de oportunidades. A pobreza e a discriminação são os únicos elementos realmente relevantes que diferenciam os seres humanos entre si. E é contra eles que devemos nos unir. A questão não é trocar os lugares e sim criar bons lugares para todos, respeitando as diferenças dos que querem ser diferentes.